Especialistas explicam: “Como conversar sobre drogas com meu filho?”

Da Redação
|
26/06/2018 às 09h50 - terça-feira

O bom diálogo com os filhos é sempre o melhor caminho para a prevenção de muitos males, inclusive, no que se diz respeito ao uso de drogas lícitas ou ilícitas. Seja na infância, na adolescência ou se já é adulto, a conversa no lar faz com que eles se sintam seguros. Pois é importante que eles saibam que poderão encontrar o apoio na família diante de qualquer insegurança, medo ou frustração, e não em substâncias que não resolvem o problema (mesmo que seja um uso esporádico). Aliás, ao contrário, o uso das drogas agravará ainda mais os desafios, gerando prejuízos físicos, psíquicos e espirituais ao indivíduo.

Portanto, é preciso ter muita atenção ao tema, principalmente na juventude! Nessa fase, o jovem passa por muitas mudanças, como por exemplo, a necessidade de se enturmar, de vencer a timidez, definir sua personalidade, começar a ter mais autonomia. Por isso, neste post você encontrará importantes orientações de especialistas no tema, que respondem à seguinte pergunta: "Como conversar sobre drogas com o meu filho?". E a visão fraterna e ecumênica da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo a respeito do tema.

Como iniciar a conversa?

Veja a seguir, neste primeiro vídeo importantes orientações transmitidas pelo ministro pregador da Religião Divina Émerson Damásio, formado em Políticas Públicas sobre Drogas, pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (SENAD), do Ministério da Justiça.

 

Apesar da importância e da urgência do tema, ainda assim, na maioria dos casos, não é fácil ganhar a confiança do adolescente e tratar sobre o assunto. Por isso, é preciso ter calma, estar bem informado e ter um elemento fundamental, conforme afirma o presidente-pregador da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, José de Paiva Netto: “O coração torna-se mais propenso a ouvir quando o Amor é o fundamento do diálogo”.

Shutterstock
De acordo com o Relatório Global sobre Álcool e Saúde 2014, da Organização Mundial da Saúde (OMS), “em 2012, cerca de 3.3 milhões, ou seja, 5,9% do total de mortes no mundo foram atribuídas ao consumo de álcool”. O documento também afirma que o consumo dessa substância tem relação casual com o desenvolvimento de mais de 200 tipos de problemas de saúde, como a cirrose hepática, câncer, doenças infecciosas (tuberculose, HIV, AIDS e pneumonia) e a indução ao aborto espontâneo. Ele também gera problemas sociais e econômicos a sociedade, como atos de violência e acidentes.
Alguns pontos do que você encontrará nos conteúdos em vídeo:

- Panorama geral sobre os motivos e as consequências físicas do consumo de drogas;
- Com qual idade se deve falar sobre o assunto;
- Dicas de como achar o melhor momento e iniciar a conversa;
- Dicas para os pais que querem conversar, mas não se sentem muito próximos dos filhos para tratarem do assunto;
- Opções saudáveis para o fortalecimento dos pais, dos filhos e da família, na prevenção ao uso de drogas.

Abaixo, no segundo vídeo, veja a palavra do psicólogo clínico Douglas Resende, especialista em dependência química e pesquisador da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).

 

Outros passos para a prevenção

Além do diálogo, outros passos também são primordiais para evitar o uso de drogas na adolescência. Confira o infográfico produzido pelo Programa Educação em Debate, que reúne profissionais da área para debaterem diversos temas da atualidade. Ele é veiculado na Boa Vontade TV e Super Rede Boa Vontade de Rádio.

 

Se ao conversar com o seu filho, você perceber que ele já faz o uso de alguma droga, tente entender o real motivo que o está levando a esse comportamento e haja na causa. E é importante que se procure ajuda médica o quanto antes! Nesse processo, não se esqueça também do fortalecimento espiritual. Faça a sua prece, pedindo forças a Deus e que seu coração esteja sempre apto a receber as intuições que vêm de seu Anjo da Guarda, tomando assim, as melhores decisões nessa jornada que pode ser longa e muito difícil, mas necessária, para o jovem e os familiares.

Cuidar e orientar os jovens é uma tarefa muito importante das famílias, mas que todos podem ajudar, seja um amigo, um irmão, professor ou mesmo um conhecido. Afirma José Paiva Netto, em seu artigo Pais e filhos contra a droga:

“Eis por que fraternalmente advertimos: Cuidemos bem de nossa juventude, como o faz a Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, porque a nenhum de nós interessa ter amanhã uma pátria de drogados, bêbados e frustrados. Queremos, isto sim, uma geração, uma civilização de homens e mulheres, jovens e crianças honrados, realizadores no Bem, amantes da Paz, da Verdade e da Justiça. É por isso que a Religião Divina trabalha incessantemente. Se o mundo quiser evoluir, precisa, antes de tudo, preparar a geração que surge, com o que tiver de melhor, e confiar mais nela. Já é tempo.

A propensão dos jovens é acreditar e batalhar pelo futuro. Graças a Deus! Ainda bem!”.

Conheça os espaços e atividades saudáveis e solidárias que a Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo oferece as famílias e aos jovens! Fortalecendo os laços familiares, para que cada um (filhos e pais) perceba o seu papel na construção de um lar mais harmonioso e unido, conhecendo amigos no Ideal do Bem e promovendo a conscientização sobre o valor da vida em seu aspecto espiritual e material.

Avalie este conteúdo