Em 1983, Paiva Netto consolidava o processo de oficialização e registro da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo

Da Redação
|
16/12/2014 às 14h15 - terça-feira
Arquivo BV

 

Em 19 de dezembro de 1983, no Cartório de Registro Civil das Pessoas Jurídicas, do Rio de Janeiro, RJ, o escritor, radialista e jornalista José de Paiva Netto fez o registro como pessoa jurídica da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, consolidando o processo de oficialização da instituição, ao qual deu início em 1o de outubro de 1982.

A Religião Divina foi proclamada pelo saudoso radialista, jornalista e poeta brasileiro Alziro Zarur (1914-1979), em 7 de outubro de 1973, na cidade de Maringá, PR. Hoje, está presente no Brasil e em várias partes do mundo.

O alicerce da doutrina ecumênica e fraterna da Religião Divina são os ensinamentos de Jesus, especialmente Seu Novo Mandamento: “Amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos, se tiverdes o mesmo Amor uns pelos outros” (Evangelho, segundo João, 13:34 e 35). Nessa divina assertiva, o Mestre dos mestres indica o caminho da salvação espiritual e material dos seres humanos, ao exemplificar a capacidade infinita de amar na medida do próprio sentimento do Pai Celestial, o criador do Universo. Nessa Lei de Fraternidade Universal está firmado todo o trabalho e a razão da existência da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo. 

É por trazer em si esse fundamento de Paz e Caridade Completa, material e espiritual, que supre as necessidades do corpo e, principalmente, as da Alma, que a Religião Divina prega, com vanguarda, o Ecumenismo Irrestrito e Total, cumprindo sua função de Campo Neutro do Cristo, com o objetivo de “unificar todo o conhecimento espiritual-humano em uma poderosa força a serviço dos povos”, conforme define Paiva Netto. Dessa forma, põe-se fraternalmente ao lado de todos os movimentos religiosos e filosóficos que se dedicam ao ser humano, na busca de Deus e da vivência de Seus ensinamentos.

Sua tarefa reside, principalmente, no amparo e no esclarecimento espiritual dos povos. O exemplo de vida e as lições de Jesus registrados em Seu Evangelho-Apocalipse, interpretado em Espírito e Verdade, à luz do Novo Mandamento, são a base de toda a pregação. O próprio Cristo Ecumênico, o Divino Estadista, se apresenta como o grande Ideal a ser vivido por todas as criaturas que almejam a transformação da sociedade para melhor. “A Religião do Terceiro Milênio não nasceu para conflitar com nenhuma religião ou filosofia. Ela surgiu para semear o Amor Fraterno entre as criaturas espirituais e terrenas”, esclarece o Presidente-Pregador da Religião do Amor Universal.

Arquivo BV

Em outubro de 1968, no gabinete da Presidência da LBV, no Rio de Janeiro/RJ, Zarur e Paiva Netto ouvem, concentrados, uma gravação. 

Na definição do saudoso Irmão Zarur:

“A Religião do Terceiro Milênio, a Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, é mais que toda a Religião: é toda a Ciência, é toda a Filosofia, é toda a Política e toda a Moral, todo o progresso humano, unido ao progresso de todos os mundos, de todas as Humanidades Siderais — o Amor Universal na apoteose ao Criador Onipotente, Onisciente e Onipresente, o nosso Deus, o nosso Pai!"

Ouça esta elevada Definição nas vozes de Alziro Zarur e de Paiva Netto. Acompanhe também, com essa mesma letra, a música Definição do Amor Universal:

Conheça a Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo! Consulte o endereço da Igreja Ecumênica mais próxima de você ou ligue para a Central de Relacionamento da Religião Divina: 0300 10 07 940 (custo de ligação local mais impostos).

Avalie este conteúdo