Saiba como lidar com a dor do luto

Conte com o apoio da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo

Alan Mateus Rosseto
|
11/06/2024 às 15h25 - terça-feira

Sem dúvida, um dos momentos mais desafiadores da existência humana na Terra é lidar com o falecimento ou, da forma como esclarece a Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, lidar com o retorno de uma pessoa muito próxima ao Mundo Espiritual.

Enfrentar a dor do luto pode parecer muitas vezes insuportável e conviver com a saudade do ente querido, com o sentimento da ausência dele no dia a dia pode ser bem desafiador.

Porém, se você está passando pela dor do luto, permaneça conosco na leitura deste conteúdo. Ou se conhece alguém que sofre e precisa entender esse momento desafiador, encaminhe esta mensagem de conforto a esta pessoa, que fará muito bem. Saiba que a Religião do Terceiro Milênio está aqui para oferecer o apoio necessário neste enfrentamento.

Vamos apresentar alternativas e possibilidades, a partir dos ensinamentos de Jesus e da Espiritualidade Ecumênica, para fortalecer seu coração e contribuir para uma melhor vivência desse momento.

Em uma das reflexões do escritor Paiva Netto, Presidente-Pregador da Religião Divina, ele apresenta importante esclarecimento em seu blog (paivanetto.com):

“O grande segredo da Vida é, amando a Vida, saber preparar-se para a morte, ou Vida Eterna, na hora certa, determinada por Deus.”

Chamamos fraternalmente a atenção para equilibrarmos o melhor de nossa vivência terrena todos os dias, sem deixarmos de nos conscientizar de que a vida continua após a morte e de que precisamos nos preparar para a continuidade da jornada na eternidade, sem que isso cause medo ou perturbação.

Especialistas da área da saúde atestam a importância da conversa prévia sobre a morte entre familiares e amigos para haver a devida preparação e lidar melhor com a dor do luto. Isso ainda é um tabu entre os brasileiros.

+ O GRANDE SEGREDO DA VIDA

A dor do luto e o diálogo

Confira a seguir uma importante entrevista realizada no programa Viver é Melhor!, da Boa Vontade TV, com a psicóloga Karen Scavacini, idealizadora, cofundadora, coordenadora e responsável técnica do Instituto Vita Alere de Prevenção e Posvenção do Suicídio

A entrevista aborda pontos como:

— O que é o luto, sua função e impactos;
— Cobrança pelo esquecimento do ente querido;
— Diferentes formas de expressar o luto.

 

É importante conversar sobre este assunto. Se não houve tempo para dialogar sobre o tema em família, com amigos e entes queridos, preparando assim melhor os corações das famílias para enfrentar essa desafiadora realidade do luto, saiba que existem possibilidades a serem buscadas, de forma a amenizar a dor do luto.

Como lidar com a dor do luto

Vamos compartilhar especialmente 3 delas:

1. Conscientize-se sobre a eternidade da vida

O Cristo de Deus ensinou à mulher samaritana, junto ao poço de Jacó, em Seu Santo Evangelho, segundo João, 4:24 que “Deus é Espírito; e importa que os Seus adoradores O adorem em Espírito e Verdade” e no livro Gênesis, 1:27 temos o ensinamento de que “Deus criou o ser humano à Sua imagem e semelhança”.  

Logo, fomos criados por Deus enquanto Espíritos Eternos. Necessitamos de períodos evolutivos na Terra para progredir em direção ao Pai Celestial ao longo das diversas encarnações, mas nossa Pátria de Origem é o Mundo Espiritual.

A consciência dessa realidade não apenas nos ajuda a viver de forma mais fraterna e ligada ao Bem, como também nos ajuda a lidar melhor com a dor do luto quando nos deparamos com o retorno de uma pessoa querida à Pátria Espiritual.

No Santo Evangelho do Cristo de Deus, segundo João, 14:2, o Divino Mestre ensina que “Na Casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fosse, Eu o teria dito a vós. Vou preparar-vos lugar”, confirmando assim a continuidade da Vida após a morte e o acolhimento que Ele promoverá, juntamente com as equipes espirituais de Luz, na chegada ao Céu da Terra daqueles a quem tanto amamos. Portanto, não falta amparo Divino para eles e para nós nos momentos desafiadores do luto.

No livro Os mortos não morrem, de autoria do escritor Paiva Netto, na página 152, é possível observar o relato a respeito dos reencontros que ocorrem no Mundo da Verdade quando respeitamos o tempo de vida na Terra, zelando pelo cumprimento da nossa missão:

“É um verdadeiro reencontro que ocorre com os seres reencarnados quando regressam ao Mundo da Verdade na hora certa. Chegando lá, são encaminhados para as regiões com as quais espiritualmente se afinam e vivenciam um período de ajuste. Tudo é atração. Reaprendem os costumes da nossa Pátria de origem, repassam suas experiências e ações enquanto vestiam a roupagem física, trazem informes sobre o que se passa na Terra ou ainda recebem notícias de seus entes queridos que estão no Plano Espiritual.”

+ Estude e aprofunde seu conhecimento sobre a eternidade da Vida na obra literária “Os mortos não morrem”.

2. Exercite a oração 

 A oração é uma das formas mais diretas de contato com o Mundo Espiritual e nos conecta a Deus, a Jesus e à Espiritualidade Bendita, para recebermos o amparo necessário no enfrentamento e em como ludar com a dor luto.

Ela também promove, por meio da elevação do pensamento somado ao sentimento de amor, um relacionamento de carinho, cuidado e proteção com os entes queridos que estão prosseguindo sua jornada evolutiva em outro plano.

No livro “Os mortos não morrem”, na página 58, o escritor Paiva Netto descreve como a oração é um recurso prático não apenas para aprendermos sobre a eternidade da vida, mas para adentrarmos esse universo, nos libertando dos possíveis medos relacionados à morte. Destacamos:

“(...) É inteligente, pois, não temê-la. Ademais, o exercício da oração afasta de nós o medo, abre-nos a consciência para a eternidade da vida. O próprio ato de rezar significa se dirigir a um Ser Superior que paira acima do que denominamos morte.”

A oração ajuda a afastar o medo. Portanto, convidamos você a orar sempre que possível e necessário, pois ela oferece ainda mais força, perseverança, conforto e coragem.

Caso você se encontre numa situação em que “não tem forças para orar ou não consegue acalmar os pensamentos aflitos, se sente fraco para continuar, sente-se abandonado”, peça ajuda a um familiar, amigo próximo, a uma pessoa querida. A Religião do Terceiro Milênio está aqui para ajudar também neste processo. Nós estamos à disposição para conversar e orar com você

+ Insira os nomes dos entes queridos no Livro de Preces.

Ainda no livro “Os mortos não morrem”, na página 79, constante o subtítulo “Dia dos Vivos”, o escritor Paiva Netto relata sua experiência relacionada à oração, quando houve o retorno dos seus queridos pais e sua irmã à Pátria da Verdade:

“Quando meus queridos e amados pais, Idalina Cecília de Paiva (1913-1994) e Bruno Simões de Paiva (1911-2000), e minha adorada irmã, Lícia Margarida de Paiva (1942-2010), faleceram, muito padeceu o meu coração. Contudo, prontamente comecei a entoar comovido colóquio com o Criador, amenizando a saudade e lhes transmitindo mensagens de paz e de gratidão. Logo senti que continuam vivos, porque os mortos não morrem! Costumo afirmar: quando se ora, a Alma respira, fertilizando a existência espiritual e humana. Fazer prece é essencial para desanuviar o horizonte do coração.

Ao compartilhar sua experiência com o exercício da oração em Jesus, quando do falecimento dos seus entes queridos, o Irmão Paiva a exalta como forma de recebermos a força e o amparo da Providência Divina nos momentos adversos da existência para enfrentar e vencer a dor do tuo.

Acompanhe no vídeo a seguir emocionantes comentários de Paiva Netto sobre como é possível lidar com a saudade de um ente querido. Aprecie, receba a força desse aprendizado emocionante. Sinta em seu coração a presença viva de Jesus em sua vida.

3. Recorde bons momentos

As lembranças dos bons momentos vividos na Terra ao lado da pessoa que faleceu são outro fator fundamental para aliviar o coração sobre a dor do luto.

Elas nos remetem a ocasiões especiais que ficarão registradas para todo o sempre nos corações de quem partiu e de quem permanece na Terra, definindo circunstâncias que contribuíram para o amor e a afinidade se expandirem, ao passo que as situações difíceis, mais ligadas aos momentos finais do ente querido no mundo material, são passageiras e ficarão para trás com o passar do tempo.

“A morte é um fenômeno natural da vida e exige adaptações tanto para aqueles que retornam ao Plano Espiritual quanto para os que permanecem na Terra. A saudade manifesta-se neste lado da existência, bem como no de lá, porque o sentimento de Amor Fraterno mantém as Almas interligadas. O luto é um processo que precisa ser respeitado. É humano. Devemos oferecer compreensão e apoio para que ninguém se sinta sozinho nesse instante. Todavia, sempre cordialmente orientamos que não se cultive vibrações de tristeza, pois isso também alcança o Espírito que está em recuperação, estando ela ou ele muito mais sensível àquilo que lhe transmitem.” (Fonte: “Os mortos não morrem”, página 390).

Mesmo quando o retorno ao Mundo da Verdade se dá por meio do suicídio, que “não resolve as angústias de ninguém”, como asseverava o saudoso Irmão Alziro Zarur (1914-1979), pois esse gesto precipitado acarreta muitos sofrimentos ao Espírito em sua chegada antes da hora à Pátria Espiritual; para quem fica na Terra e sente uma dor muito grande pelo falecimento de um familiar nessa circunstância, é igualmente importante lembrar-se dos bons momentos vividos ao lado da pessoa, conforme relata a psicóloga Gabriela Gehlen, em entrevista ao Programa Viver é Melhor!, da Boa Vontade TV.

Esperamos que essas 3 sugestões citadas acima — Consciência sobre a eternidade da vida, exercício da oração, boas recordações — possam contribuir de alguma forma para lidar com a dor do luto, com mais consciência e paz em seu coração.

Para obter um suporte ainda maior, você pode participar conosco nos encontros on-line de apoio ao luto, promovidos semanalmente pelo Ministério Digital da Religião do Terceiro Milênio. Acesse a página a seguir e faça sua inscrição.

Além do suporte espiritual, quando for necessário, é importante buscar apoio psicológico, especialmente nas situações em que a dor do luto se prolonga e nos incapacita de retomar gradativamente às atividades do dia a dia.

Aos enlutados por suicídio, é ainda mais importante a recomendação de buscar o auxílio da área da saúde, principalmente quando a rede de apoio é deficiente e a pessoa se sente sozinha e isolada para lidar com tamanho sofrimento.

Aproveite para acompanhar o depoimento de quem recebeu o suporte da Religião Divina para superar a dor do luto:

 

Alcance essa força e, mesmo diante de situações dolorosas, encontre na Religião de Deus, do Cristo e do Espírito novas razões para ser feliz, a partir do conhecimento acerca da eternidade da vida e da oportunidade diária de se vivenciar o Bem. 

Reforçamos o que nos ensina o amigo espiritual Dr. Bezerra de Menezes, na Revolução Mundial dos Espíritos de Luz, na Quarta Revelação, a Religião Divina, em mensagem espiritual do dia 29 de outubro de 2005:

“Acendam, pela força das obras edificantes, as verdadeiras luzes, que são como potentes faróis, que se elevam das esferas terrenas ao Alto, aos que já brilham no Mundo Espiritual. Isso é o que lhes pedimos. Entendemos o sentimento da saudade. Mas em vez de choros, boas ações!”

Busque o nosso suporte on-line (www.religiaodedeus.org/luto) ou procure diretamente a Igreja Ecumênica da Religião do Terceiro Milênio mais próxima (www.religiaodedeus.org/endereço) e permita o amparo do Divino Mestre se apresentar de  maneira única e definitiva em seu coração.

Desejamos ao seu coração muita paz!