Depressão infantil: comportamento que merece atenção urgente de pais e educadores

Beatriz Christina
|
24/09/2014 às 13h15 - quarta-feira

É comum vermos um adulto dizer que adoraria voltar à infância. Afinal, a alegria, a agitação, as brincadeiras de criança, muitas vezes, deixam boas recordações.

Mas, infelizmente, esta não é uma realidade para todas as crianças, uma vez que a depressão infantil está atingindo entre 8% e 12% de nossos brasileirinhos, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Sobre estes impactantes dados, o Irmão Paiva, Presidente-Pregador da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, nos chama atenção ao dizer:

“É um número preocupante. Saber lidar com essa problemática, que jamais esteve restrita a adultos e idosos, é providência urgente para pais e educadores”.

Realmente, trata-se de índice alarmante e que nos levanta alguns questionamentos: o que está causando depressão nas crianças? Como os pais e professores podem ajudar na prevenção e tratamento da doença?

Saiba mais: Em artigo, Paiva Netto alerta contra a “Depressão Infantil” 

Shutterstock

Um ponto importante é que, muitas vezes, ter a criança mais calma e tranquila, no lar ou na escola, pode ser considerado pelos pais ou educadores um momento de aparente “alívio”. Mas, na verdade, esse pode ser um claro sinal de que a criança não está bem.

Muitos sintomas precisam ser observados por aqueles que fazem parte da vida dessas crianças e que, além disso, são responsáveis pela sua proteção e bem-estar.

Há muitos estudos que apontam que, dependendo da idade, a criança pode encontrar dificuldades em expressar o que sente, não sabendo, muitas vezes, diferenciar tristeza de ansiedade ou angústia, por exemplo, e por isso, meninos e meninas acabam por somatizar sentimentos que os estão incomodando.

Ou seja, transformando-os em manifestações físicas como: dor de cabeça, dor de barriga, dor de estômago etc. Crianças com depressão queixam-se dessas dores com mais frequência.

A depressão infantil também pode acarretar receio na criança, que, portanto, passa a demonstrar maior temor ao ficar sozinha, apresenta complicações em fazer trabalhos escolares ou falar com professores e até dificuldades ao dormir, podendo reclamar de pesadelos e medo de dormir no escuro.

Estes são apenas alguns dos sinais que pais e responsáveis podem observar. Feito isso, é importante recorrer ao apoio e orientação médica para oferecer o tratamento adequado ao socorro da criança que enfrenta tal desafio.

Shutterstock

Outra questão que nos chama à responsabilidade é quanto aos fatores que podem desencadear esse problema, tão dolorido para as crianças e suas respectivas famílias no geral. Estudos apontam que uma das maiores causas da depressão infantil está ligada à dificuldade de adaptação apresentada pela criança frente a situações como luto, perdas ou grandes mudanças.

Por isso, o diálogo no meio em que vive, a harmonia da casa, o bem-estar de todos e os momentos de confraternização e união em família são fundamentais para a saúde emocional e principalmente espiritual desses pequeninos.

Diálogo no Lar

Em Seu Santo Evangelho, Jesus nos convoca a dar o devido valor às crianças, ao dizer:

“Deixai vir a mim os pequeninos, não os impeçais, porque deles é o Reino dos Céus” (Mateus, 19:14).

Por isso, a Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo nos lembra da responsabilidade que temos com o crescimento saudável de cada menino e menina, valorizando o potencial que carregam consigo de outras vidas, por serem espíritos eternos, e cuidando dos sentimentos de cada um deles para que cresçam felizes.  

No artigo que traz esclarecimentos sobre o tema Depressão Infantil, publicado em centenas de jornais, revistas e sites, no Brasil e exterior, o presidente-pregador da Religião do Terceiro Milênio nos orienta:

“não descuidemos de proporcionar aos pequenos e aos jovens um espaço sadio, enriquecido por uma Espiritualidade Ecumênica orientada pelos melhores princípios éticos. Desde cedo, devemos ter consciência de que a prece, a meditação, a confiança em Deus ou nas forças da Natureza são eficientes recursos ao equilíbrio bio-psíquico-espiritual”.

Daí a importância de desenvolver o lar como este espaço seguro e sadio para a participação das crianças. E um hábito muito sagrado, que pode contribuir muito para lidar com a depressão, ou mesmo prevenir que ela não invada tanto o nosso lar quanto a vida das crianças é o cultivo da prece, principalmente em família.

Arquivo rJEC!

Seguindo, assim, a tradição pioneira da Religião do Terceiro Milênio, que nos convida a fazer uma vez por semana a Cruzada do Novo Mandamento de Jesus nos Lares de Boa Vontade. Este é um momento em que paramos um pouco os afazeres do dia a dia, sentamos com os nossos familiares, estudamos os ensinamentos de Jesus e oramos, buscando na Espiritualidade Ecumênica, portanto Universal, a segurança de nossa família.

Dessa maneira, quando o desafio aparecer, todos da família estarão preparados para enfrentá-lo da melhor maneira possível, estando cada vez mais unidos e fortalecidos em Jesus, o Cristo Ecumênico, o Divino Estadista.

Portanto, promover a Cruzada do Novo Mandamento de Jesus no Lar¹ é uma solução segura para quem procura fortalecer os vínculos de Amor entre todos os integrantes da família. É um compromisso semanal que reúne todos do lar para o estudo do Evangelho-Apocalipse de Jesus, aprendendo com o Divino Mestre como alcançar uma vida digna sob a proteção de Deus.

Educação que transforma

No livro É Urgente Reeducar!, p. 186, no subtítulo Amor versus conivência, o educador Paiva Netto escreve:

“Nada mais pedagógico do que o Amor Fraterno, conquanto enérgico e justo. Naturalmente, o Amor não pode ser confundido com conivência no erro, pois existem aqueles que consideram que amar é concordar em tudo, não importando que esteja errado. Amar é justamente o contrário, mas sabendo-se, com generosidade, corrigir a pessoa em seu equívoco, mesmo que com ponderado rigor”.

Eis o grande recado para pais, educadores e todos aqueles que têm o privilégio de conviver com o doce sorriso de uma criança. Afinal de contas, a educação, quando firmada no Amor Fraterno, não deixará que a criança ofenda seus colegas ou que desrespeite quem quer que seja, pois corrigirá os erros e fará o possível para orientar os passos dela para o caminho certo.

Essa atitude fará também com que os meninos e meninas cultivem sua alegria e disposição, incentivando a conversa em família, perguntando como estão os sentimentos dela e o que pensa sobre os desafios que a família possa enfrentar.

Oportunidade no Bem!

Os Soldadinhos de Deus (como são carinhosamente chamadas as crianças na Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo) aprendem nas Aulas de Moral Ecumênica (AME) a vivenciar as lições deixadas por Jesus em Seu Evangelho-Apocalipse.

Vivian R. Ferreira

Este é um espaço de aprendizado e alegria dedicado a crianças de 3 a 10 anos, que estudam as lições e o exemplo de vida do Divino Mestre por meio de histórias, músicas, gincanas, brincadeiras e aulas.

Inscreva as crianças que fazem parte da sua vida nas Aulas de Moral Ecumênica! Dirija-se ao Templo da Boa Vontade, em Brasília, DF, e à Igreja Ecumênica da Religião do Amor Universal mais próxima de você. Você também pode solicitar uma Cruzada do Novo Mandamento de Jesus em seu Lar, ligando: 0300 10 07 940 (custo de uma ligação local + impostos).

__________
1. Na Super Rede Boa Vontade de Rádio é transmitida, toda segunda-feira, a Cruzada do Novo Mandamento de Jesus diretamente da Igreja Familiar nº 1 da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, sob a responsabilidade do casal Paiva Netto.

Avalie este conteúdo