Cuidados com a saúde e boa alimentação contribuem para o nosso desenvolvimento espiritual

Thaís Afonso
|
08/02/2013 às 20h18 - sexta-feira

Em meio a correria do dia a dia é comum nos alimentarmos, ainda que não queiramos, de maneira a causar prejuízos à nossa saúde: não selecionamos bem o que vamos ingerir, comemos com pressa, em quantidade inapropriada e de forma atribulada. Os danos comprometem nosso bem-estar. Está aí a própria medicina constantemente anunciando os males causados por uma alimentação irresponsável.


Portanto, escolher bem a comida que colocamos em nosso prato é fundamental para iniciar importantes mudanças em nossas vidas, considerando não só o nosso corpo, que é constituído por aquilo que ingerimos (das nossas células aos nossos neurônios), mas também o aspecto da nossa responsabilidade espiritual, visto que “estamos corpo, mas somos espírito*”, conforme proclama a Religião de Deus.


Ensina o presidente-pregador da Religião do Amor Universal, José de Paiva Netto, que “Aliás, na verdade, concreto é o Espírito, não querendo afirmar que o corpo, sua vestimenta, deva ser criminosamente desprezado” (no livro Paiva Netto em Pauta, p. 62, pocket). Isso quer dizer que fazer uma escolha por alimentos mais saudáveis, saborosos e ricos em nutrientes (evitando os transgênicos¹, fast-food, muito gordurosos e/ou ricos em açúcar), é também uma responsabilidade que transcende o cuidado com o organismo, e não apenas simples opções para melhor qualidade de vida.
Para entendermos, em maior profundidade, o compromisso espiritual que devemos ter para viver bem e zelar por uma vida saudável — que também compreende realizar exercícios físicos e ter uma alimentação balanceada — recorremos ao que Jesus, o Médico Celeste, nos orienta: “a vida é mais que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes” (Evangelho segundo Lucas, 12:23).


Por isso, é preciso muita responsabilidade nas escolhas que fazemos. Colocar o respeito à saúde como uma prioridade em nossas vidas é fundamental. Com esta lição, o Divino Mestre nos alerta que, além do cuidado material com nosso corpo físico, devemos ter a consciência de que somos também responsáveis pelas consequências que o descuido com a saúde implica ao nosso Espírito, pois se formos relapsos com o nosso organismo podemos comprometer o nosso tempo de vida na Terra e, com isso, prejudicamos a nossa própria trajetória de evolução espiritual.


O nosso corpo foi confiado por Deus a cada um de nós para que o utilizássemos com muita responsabilidade no cumprimento de nossas Agendas Espirituais. Sobre o assunto, registra o Irmão Bezerra de Menezes (espírito): “Não se consegue a combinação dos elementos vitais sem a condução de uma vida sadia, porque o corpo, vaso físico, pertence a Deus, não pertence àquele que está encarnado. O inviolável vaso físico, perante o Cristo, é uma espécie de cofre, que guarda, portentoso, o símbolo da unidade. Nada simboliza melhor a presença de Deus e do Espírito do que o vaso físico. Por ele foi permitida a encarnação. Quando tratamos mal o vaso físico, de certa forma, mesmo sem o saber, começamos a violação de uma Lei de Deus”. (na revista Jesus Está Chegando!, edição 112, p. 57, item 5).


Leia também:

- Mexa-se por uma vida mais saudável; pratique atividade física
- Alimente-se bem: Benefícios das saladas para o sistema imunológico


Mudar é preciso


Deixar os alimentos ricos em calorias, os alimentos de rápido preparo e os gordurosos de lado nem sempre é tarefa fácil. É preciso, muitas vezes, a ajuda dos amigos e familiares para que a mudança dos hábitos alimentares e da cultura de convívio aconteça. Uma conversa entre amigos não precisa ser cercada por comidas saturadas e bebidas alcoólicas, por exemplo. Há muito mais a ser valorizado e aproveitado com opções no Bem. Com criatividade e disposição é possível atender ao agrado de todos. Desde que o compromisso comum seja o do bem-estar do corpo e da Alma.


Sobre a necessidade de encontrar tempo para esses cuidados, renovando os hábitos e de nos prepararmos para uma educação que forme para o equilíbrio de nossas escolhas, escreve o presidente-pregador da Religião Divina: “É inegável que a falta de um bom planejamento alimentar e de exercícios físicos leva a população a pôr em risco o próprio bem-estar. O acesso à informação é fundamental para que tenhamos hábitos melhores. É na infância que se molda igualmente os bons costumes alimentares. Está mais que comprovado que o consumo exagerado de comida industrializada não faz bem ao organismo. Um cardápio saudável, rico em frutas, legumes e verduras, por exemplo, é um bom início para mudar esse quadro preocupante. Acrescente-se a tudo isso a boa saúde de nossas Almas. Busquemos nas boas obras e na oração os nutrientes do Céu. Não podemos desprezar o Alimento Celeste com o qual o Criador sustenta Suas criaturas. Deus é superior aos limites que o ser humano queira impor a Ele.”²


Nosso papel como cidadãos do espírito


Arquivo RD
Nem sempre refletimos sobre todo o impacto que nossa alimentação, um ato pessoal, causa na sociedade. Uma simples refeição está ligada a toda uma cadeia de produção, que vai desde o uso de água e do solo, da geração de empregos, sobre a distribuição, preservação da biodiversidade, afeta a emissão de gases, e vai até agir na economia. Agora, se imaginarmos que tudo isso é afetado por uma simples refeição, consideremos então o impacto de 7 bilhões de pessoas em todo o mundo que se alimentam por 365 dias. Um estudo realizado por uma organização britânica³ indica que cerca de metade de toda a comida produzida por ano em todo o mundo, ou cerca de dois bilhões de toneladas, vai parar no lixo. Pois é, é muita coisa, e por isso é tão importante zelarmos pelas escolhas que fazemos, e mesmo na correria do cotidiano não podemos negligenciar do poder da nossa decisão.


Por isso, ao selecionar os itens da dieta é bom privilegiar os de natureza orgânica, que valorizem a produção local e o uso responsável de adubos. Tome cuidado com os produtos que exigem maior produção química e industrial. Cabe aqui, portanto, a recomendação para que antes de consumir os alimentos, eles sejam sempre higienizados com água abundante e a lembrança de que o cuidado e a prevenção são recompensados pelo equilíbrio em nossa saúde.

__________
* Saiba mais. Leia: O equilíbrio como objetivo, artigo do escrito Paiva Netto.
1. Publicações recentes apontam possibilidades de consequências negativas em torno dos transgênicos. As pesquisas científicas continuam, portanto, requerem de nós constante atenção.
2. Paiva Netto, no artigo Mães, Lei Áurea e saúde.
3. O estudo Global Food; Waste not, Want not ("Alimentos Globais; Não Desperdice, Não Sinta Falta", em tradução livre) foi desenvolvido pelo Institution Mechanical Engineers.

Avalie este conteúdo