Drogas — Como agir quando conhecemos alguém que enfrenta o desafio das drogas?

João Carlos de Carvalho
|
24/06/2014 às 20h15 - terça-feira

Jesus, o Divino Amigo, inspirou o Apóstolo dos Gentios, Paulo, a escrever em sua Segunda Epístola aos Coríntios, 6: 16 – "Vós sois o Templo do Deus vivo". Quando nos reconhecemos como esse Templo Sagrado, nos valorizamos e nos respeitamos mais, percebendo que aquilo que causa prejuízos ao nosso corpo físico terá causado danos primeiro ao nosso Espírito e, consequentemente, grandes sofrimentos.

Shutterstock


+ Saiba mais sobre o que é o Espírito Eterno. Leia o artigo de Paiva Netto: O equilíbrio como objetivo

Muitos procuram as drogas como tentativa de fuga para uma determinada situação, curiosidade ou influência de pessoas próximas. Porém, as drogas jamais apontarão soluções para os dramas que ora enfrentamos, pelo contrário, esses serão agravados. Na busca de satisfação, liberdade e autoconfiança, o que se encontra é tão somente a agressividade, isolamento e uma vida de dependência, perde-se o controle da própria vida e a lucidez para encarar e vencer os desafios frente a frente.

Do Mundo Espiritual Superior, permanentemente recebemos auxílio para a compreensão da gravidade que representa o consumo de drogas — sejam elas permitidas por lei ou não— para o corpo e o Espírito. Num desses importantes esclarecimentos, destaco palavras do Irmão Espiritual Flexa Dourada, ativista da Revolução Mundial dos Espíritos de Luz na Quarta Revelação, a Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, constante da revista Jesus Está Chegando!, edição 109, p. 50: "Nunca deixem chegar cigarro perto de vocês! Nunca! Ninguém chegar fumando perto... Ninguém! Vigiem isso. É importante lembrar sempre: o cigarro faz muito mal. Muito, muito mal! Muitas pessoas vão desenvolver doenças, moléstias pelo corpo todo, por tudo isso. O cigarro é uma das pragas da Humanidade. Cigarro, bebidas alcoólicas e drogas. Bebida alcoólica é suicídio! ‘Ah, mas é tomar só um pouco. Um pouco, isso faz bem à saúde.’ Índio, daqui de Cima não conhece ninguém que tenha ficado com a saúde boa por isso. E olha que Índio visita a casa de todo mundo. Vejam: a bebida alcoólica, os efeitos dela são tão devastadores, mas, às vezes, não imediatos. Isso vai acontecendo, para a frente. Vai passar o tempo, vai passar o tempo... Mas chega alguém e diz: ‘Ah, mas toma uma pouquinho. Vai te fazer bem isso’. É um sinal que essa pessoa não é do Bem. Não está bem influenciada. Então, é claro, não pode influenciar bem ninguém".

Leia também:
+As consequências espirituais para os vícios
+Entenda por que o suicídio traz graves consequências ao espírito

Eis porque as drogas atingem de forma indelével aqueles que se utilizam dela: Elas deixam marcas, prejuízos espirituais, físicos e morais que vão levar muito tempo para serem desfeitos e curados. E como não temos apenas uma vida, mas muitas, acabaremos por levar essas consequências para as nossas novas encarnações na Terra, às vezes, por meio de algumas doenças e desafios de convivência. São sequelas que vão permanecer no Espírito por um longo período, até que tenhamos aprendido a valorizar e preservar o corpo que nos foi concedido por Deus para evolução.

Ao fazer uso de qualquer tipo de droga, a pessoa viola o corpo e ao mesmo tempo sua essência Divina. Então, os instantes momentâneos de prazer, não valem a pena, em hipótese alguma, inclusive porque a capacidade de reproduzir os mesmos efeitos do início do consumo exigirão doses cada vez maiores e substâncias cada vez mais tóxicas, gerando períodos cada vez mais longos e intensos de depressão e inconsciência.

Ainda sobre os sofrimentos que poderiam ser evitados, a Religião do Terceiro Milênio nos esclarece que os Espíritos, embora vivam em diferentes dimensões, estão em constante contato e interação. Esse relacionamento se faz a partir da qualidade do que pensamos, sentimos e também dos hábitos que elegemos. Na medida em que se envolvem em comportamentos de risco — a exemplo do uso de drogas lícitas ou ilícitas —, adolescentes, jovens e adultos facilitam a aproximação de Espíritos ainda dependentes dessas substâncias e hábitos; ligados por meio do costume prejudicial, eles passam a acompanhá-los com o objetivo de sustentar seus vícios, trazendo graves prejuízos para os Seres na carne, que raramente se dão conta de tais influências negativas.

 

 

A droga é como um veneno, em maior ou menor dose, sempre deixa lesões, em pequena ou grande escala é sempre nociva ao Espírito e ao nosso organismo físico. A droga afeta de forma negativa a vida do usuário, compromete o entendimento de sua personalidade, seus relacionamentos e ele se torna submisso ao vício. Quem decide consumir a droga, ainda que de forma esporádica, não é o único impactado por essa escolha. As famílias que enfrentam esse tipo de drama sofrem com o desequilíbrio causado pelas consequências do vício, tais como: culpa pela sensação de que teria fracassado em seu papel, aumento da agressividade e violências, isolamento e mágoa.

Proteção espiritual e a importância da família

Shutterstock

Eis a importância da família em todo esse processo, pois não podemos jamais desistir daqueles que amamos, por maiores que sejam as lutas enfrentadas, por mais que nos consideremos fragilizados pelas circunstâncias vividas ao lado do ente querido que se encontra nessa prisão que é o mundo das drogas. O Divino Mestre— nossa referência maior de Amizade, Amor e Compreensão— nunca desistiu e jamais desanimou de nenhum de nós.

No artigo intitulado Família e direitos humanos o presidente-pregador da Religião do Amor Universal, José de Paiva Netto, registra: "Em nossos pensamentos diários, observemos sempre se estamos dando o justo valor à Família. Um país melhor, mais feliz e, por consequência, uma Humanidade equilibrada dependem dos núcleos familiares bem constituídos, devidamente prestigiados por seus integrantes e pela comunidade. A importância da família transcende a compreensão mais comum". Mais adiante, no texto, o autor nos traz uma importante orientação do ilustre Espírito dr. Adolfo Bezerra de Menezes Cavalcanti (1831-1900), que foi prefeito da cidade do Rio de Janeiro e médico no tempo do Segundo Império, numa mensagem por intermédio do sensitivo Chico Periotto: ‘Saibam que, na Pátria da Verdade, não nos descuidamos das lutas em que todos estão envolvidos no mundo. Mas queremos ainda maior afinação dos seres terrestres com seus Anjos da Guarda. Não deixem vícios humanos atingir seus Espíritos nem suas famílias, principalmente esses vícios que são fartamente divulgados nas mídias. Desde um simples cigarro, aparentemente inofensivo, às drogas, às bebidas. Blindem, blindem suas Almas’".

Portanto, é possível vencer essa luta, sim, com Jesus, o Provedor Celeste. Não desista de apoiar ética e solidariamente o ente querido, que enfrenta esse desafio, contribuindo para sua recuperação. É preciso incentivá-lo ao tratamento especializado.

Conheça uma das Igrejas Ecumênicas da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo e participe de suas reuniões públicas que fortalecem a Alma para os embates da existência, pois, como também aprendemos com o Líder da Religião do Amor Universal "Quem confia em Jesus não perde o seu tempo. Porque Ele é o Grande Amigo que não abandona amigo no meio do caminho!". Essa convicção nos dá forças para enfrentar as batalhas diárias, buscar o tratamento e o apoio médico necessário, pois podemos sempre contar com o poder de Deus, para o qual nada é impossível.

_____________
* João Carlos de Carvalho, ministro-pregador da Religião Divina.

Avalie este conteúdo