Há 70 anos ocorria a primeira Cruzada de Religiões Irmanadas; relembre

Da Redação
|
05/01/2020 às 20h15 - domingo

Há 70 anos, em 7 de janeiro de 1950, uma semana depois do saudoso Irmão Alziro Zarur (1914-1979) fundar a Legião da Boa Vontade (em 1º de janeiro), ele promoveu e dirigiu a pioneira Cruzada de Religiões Irmanadas*. A memorável sessão representou um gigantesco avanço no campo do diálogo inter-religioso, estabelecendo as bases que deram origem à Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo.

Sua primeira edição ocorreu no salão do Conselho da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), na capital fluminense, após sucessivas reuniões preparatórias realizadas no mesmo local, nos meses de outubro, novembro e dezembro de 1949, na sala da diretoria daquela prestigiada Casa do Jornalista.

Arquivo LBV
Em 7 de janeiro de 1950, Alziro Zarur comanda a primeira reunião ecumênica da Legião da Boa Vontade, a Cruzada de Religiões Irmanadas, pela qual pioneiramente preconizava o interrelacionamento religioso. Ela foi realizada no Salão do Conselho da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no Rio de Janeiro, RJ, da qual Leopoldo Machado foi um dos oradores. Na foto superior, ao lado direito de Zarur, que aparece em pé, Teles da Cruz (Catolicismo), à esquerda Murilo Botelho (Esoterismo) e Ascânio Farias (Positivismo).

Representantes de diferentes segmentos e campos do saber humano da época se reuniram com o intuito de conciliar os mais diversos pensamentos em torno do Amor Universal, sintetizado no Novo Mandamento de Jesus — “Amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos” (Evangelho do Cristo, segundo João, 13:34 e 35).

Sete oradores participaram da memorável sessão: Salustiano César, reverendo protestante; Teles da Cruz, católico; Murilo Botelho, esotérico; Leopoldo Machado, espírita; Eugênio Figueiredo, livre-pensador; Samuel Linderman, judeu; e Ascânio de Farias, positivista. A partir dali, a LBV viu o seu Ideal de solidariedade, altruísmo, generosidade e ecumenismo sem fronteiras conquistar corações e harmoniosamente congregar pensamentos de religiosos, filósofos, cientistas e ateus.

Crescia a cada reunião no Salão da ABI o número de pessoas presentes. Herbert Moses (1884-1972), então Presidente da Associação Brasileira de Imprensa, que construiu sua famosa sede, entusiasmado com o sucesso daqueles encontros, declarou: “Zarur fez um verdadeiro milagre juntando tantos inimigos cordiais na LBV”.

Repercussão na mídia impressa carioca

Dada a relevância do acontecimento, grande foi o destaque nos meios de comunicação, a exemplo da matéria “O valor da cooperação”, publicada em raro exemplar do jornal O Cristão, de 31 de janeiro de 1950, da cidade do Rio de Janeiro, RJ, assinada pelo ministro evangélico Salustiano César, que participou da primeira Cruzada de Religiões Irmanadas. Ele registrou:

“No dia 7 de janeiro corrente, especialmente convidado como Ministro Protestante, participei de uma interessantíssima quão surpreendente reunião no edifício da Associação Brasileira de Imprensa, onde o espírito colaborativo, numa forma toda providencial, se caracterizou pela representação em conjunto de pessoas de diferentes credos e correntes filosóficas. Nossa palavra baseada em Romanos, 12, foi ouvida com extraordinários aplausos, ao lado dos oradores: Israelita, Positivista, Esoterista, Espírita, Católico Romano, Livre-Pensador. Muitíssimo impressionante foi essa solenidade pelo objetivo culminante de congregar as ‘pessoas de Boa Vontade’ em favor dos que ficaram à margem da vida. Com este objetivo, foi organizada a ‘Legião da Boa Vontade’, que atenderá ‘sem preconceitos’ a todos os que sofrem nos seus leitos de dor, em suas casas ou emparedados nos hospitais”.

O acontecimento também foi noticiado pelo saudoso jornalista Benedito Mergulhão, em A Noite, edição de 8/6/1956, na qual registrou: 

"Considerando que todas as religiões desempenham um papel preponderante no aperfeiçoamento espiritual do Homem, a LBV teve a feliz iniciativa de reunir representantes de todos os credos que se professam nesta capital e, confraternizados, cada um de per si expor as bases das respectivas doutrinas. Dessa forma, a Legião da Boa Vontade levou a efeito, em outubro, novembro e dezembro de 1949, reuniões em que falaram representantes do catolicismo, protestantismo, espiritismo, budismo, maometismo, positivismo, bramanismo,judaísmo, esoterismo, umbandismo etc.".

Ideal Ecumênico

A Religião do Terceiro Milênio, tem sua doutrina fundamentada na Ordem Suprema de Jesus e, por esse princípio de Paz, ela se apresenta ecumênica por excelência, agindo como campo neutro a "unificar todo o conhecimento espiritual-humano em uma poderosa força a serviço dos povos", conforme define José de Paiva Netto, seu presidente-pregador.

Coletânea histórica da tese de vanguarda "Os Quatro Pilares do Ecumenismo". Nela, você encontrará uma rica seleção de conteúdos, entre eles grandes discursos e gravações históricas – num empolgante trabalho da Academia Jesus, o Cristo Ecumênico, o Divino Estadista –, e torne-se também protagonista na construção de um mundo de Fraternidade e Paz!

+ Adquira a Coletânea histórica da tese de vanguarda "Os Quatro Pilares do Ecumenismo"

Viva, na Religião do Amor Universal, este Ideal sublime de concórdia e humanidade: o Ecumenismo sem restrições. Conheça a Igreja Ecumênica mais próxima de você. Informações pelo telefone 0300 10 07 940 (custo de uma ligação local mais impostos).

* Saiba mais lendo a versão revista e ampliada do livro Paiva Netto e a Proclamação do Novo Mandamento de Jesus — A saga heroica de Alziro Zarur (1914-1979) na Terra, pp. 356 a 362.

Vivian R. Ferreira

Em sua edição revista e ampliada, o livro apresenta novos conteúdos para celebrar a importante data, destacando acontecimentos marcantes da história da Instituições da Boa Vontade.

Avalie este conteúdo