18 anos da composição "Prece para ter Tranquilidade"

Música especial para confortar e amenizar as dores de todos os que sofrem

Da Redação
|
03/02/2014 às 20h18 - segunda-feira

Música especial para confortar e amenizar as dores de todos os que sofrem

A data era 4 de fevereiro de 1999, e o local, Glorinha/RS. O relógio marcava 19h40. Paiva Netto chegou à sala de música e foi direto ao piano. A melodia trazia serenidade. Enquanto tocava, dizia: "Os pizzicatos aqui representam o pulsar do coração tranquilo". Depois de apresentar a nova composição, fechou o piano e enunciou: "Agora, vamos à letra: ‘Só Jesus salva!/ Dele a Paz virá,/ Para o coração/ Que quer Seu perdão./ Vem, ó Mestre, a nós!/ Não nos deixes sós!/ Tudo é sempre dor/ Sem o Teu Amor!’".

"Prece para ter Tranquilidade" é destinada, principalmente, àqueles que sofrem, de modo que possa amenizar suas dores. Tamanhos são os benefícios que recebemos ao ouvir os acordes dela que o nobre Irmão Dr. Bezerra de Menezes (Espírito) chegou a declarar em uma das reuniões do Centro Espiritual Universalita (CEU) da Religião Divina: "A música traz fluidos aos ambientes. (...) Fluidos divinos da “Prece para ter tranquilidade”. Ao cantar, recebemos verdadeiros fluidos. Os que entram na sintonia dessa Prece, conseguem atingir curas inimagináveis à medicina humana. Não por acaso solicito a música divinal em nossas reuniões. Verdadeiro condutor de bênçãos curativas às almas e à matéria. O vaso físico precisa destes fluidos. Quem estiver contrito de corpo e alma ao cantar esta música, consegue maravilhosas realizações no campo da saúde".

A composição foi também apresentada durante o Espetáculo Música Legionária — Ao Cristo com decisão!, ocorrido em 2012, durante os festejos dos 24 anos do Templo da Boa Vontade (TBV), na capital brasileira. Confira! 
 

 

Outro marco na história da "Prece para ter Tranquilidade" ocorreu em 2014, quando foi apresentada para mais de 16 mil maestros, regentes e outros interessados em música erudita, durante uma masterclass para alunos da Escuela de Dirección de Orquesta y Banda Maestro Navarro Lara, da Espanha. A composição integra o Oratório O Mistério de Deus Revelado, de autoria do compositor Paiva Netto, que superou a marca de 500 mil cópias vendidas. O Oratório foi escrito em Portugal, no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul (1998), Brasil, sob a inspiração do genial Villa-Lobos (1887-1959).

LEIA TAMBÉM:
Sintonia com Deus: Como a música nos influencia espiritualmente?

Compositor

compositor Paiva Netto, cuja obra fonográfica vendeu milhões de cópias, teve sua paixão pela música despertada por seus pais, Idalina Cecília (1913-1994) e Bruno Simões de Paiva (1911-2000). Deles herdou também o sentimento fraterno e o senso de humanidade, tão marcantes no conjunto de suas composições. No Colégio Pedro II (Rio de Janeiro/RJ), onde recebeu o título de Aluno Eminente (possuindo placa de bronze na sede do órgão carioca), teve aulas com o professor Homero Dornelas (1901-1990), assessor do notável compositor e maestro Villa-Lobos. Entre as múltiplas atividades que desenvolveu inicialmente, foi sonoplasta dos programas radiofônicos do saudoso proclamador da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, o radialista e poeta Alziro Zarur (1914-1979), o que acentuou ainda mais seu ouvido musical. Não obstante a extrema dedicação à causa da Boa Vontade, sua ligação com a música não se perderia.

A elevada sensibilidade de sua alma foi notada por renomados músicos, que, ao longo dos anos, interpretaram as obras de Paiva Netto, a exemplo dos maestros brasileiros Isaac Karabtchevsky, Achille Picchi, José do Espírito Santo (1927-2005), Antônio Carlos Borges Cunha e Ricardo Averbach — discípulo destacado do famoso regente titular da Filarmônica de Sófia, Vladi Simeonov; do búlgaro Bedros Papazian e do norte-americano Gregory Hopkins.

Avalie este conteúdo