Como educar a criança para o fim da violência?

Sobre o tema, o educador Paiva Netto apresenta conceito inovador: “É preciso desarmar os corações humanos desde a infância”.

Gisela Portilho
|
09/09/2016 às 08h45 - sexta-feira

Para muitos, o ato de educar uma criança para que essa não reproduza a violência na sociedade parece cada vez mais difícil e complexo. Infelizmente, vemos nos dias atuais influências negativas que concorrem, e muitas vezes de forma injusta, com estratégias de pais na educação de seus filhos. Entretanto, é possível melhorar essa realidade, por meio da vivência do Amor Fraterno. Como? “É preciso desarmar os corações humanos desde a infância”, ensina há décadas o presidente-pregador da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, José de Paiva Netto.

Antonia Dutra

CAMPO GRANDE, RJ — Soldadinho de Deus, Esperança do Mundo, fazendo a leitura de um dos livros da Coleção Ecumênica Os milagres de Jesus =)

Sobre esse conceito, explica em seu artigo “Desarmar os Corações”: É necessário desativar os explosivos, cessar os rancores, que insistem em habitar os corações humanos. Eis a grande mensagem da Religião do Terceiro Milênio, que se inspira no Cristo, o Príncipe da Paz: desarmar, com uma força maior que o ódio, a ira que dispara as armas. Trata-se de um trabalho de educação de largo espectro; mais que isso, de reeducação. E essa energia poderosa é o Amor — não o ainda incipiente amor dos homens —, mas o Amor de Deus, de que todos nós nos precisamos alimentar. Temos, nas nossas mãos, a mais potente ferramenta do mundo. Essa, sim, é que vai evitar os diferentes tipos de guerra, que, de início, nascem na Alma, quando enferma, do ser vivente”.

Portanto, é tão necessário promover uma educação para Paz. Afinal, receber uma criança é um compromisso, acima de tudo, espiritual. Os pais, biológicos ou adotivos, não têm apenas a responsabilidade legal de educar seus filhos. Nós acreditamos que há um vínculo que vai além das leis materiais, fruto de um compromisso assumido com Deus e que deve ser honrado.

Vivian R. Ferreira

Por conta disso, esse zelo deve estar presente já no período da gestação. Ao mesmo tempo em que há cuidados com a alimentação, atividades físicas e medicamentos — porque podem influenciar na formação biológica e neurológica do bebê —, é preciso que a mãe e toda a família realizem a Oração, façam boas escolhas quanto aos ambientes que frequentam, quanto às músicas ouvidas, palavras que emitem aos que estão à sua volta e tantas outras situações que podem criar uma vibração positiva. Afinal, já foi cientificamente comprovado que tudo isso é captado pelo bebê ainda no útero materno.

ATITUDES PARA ACABAR COM A VIOLÊNCIA

O cuidado em educar com afetividade, afastando, portanto, as crianças da violência, continua durante toda a infância. Os pais necessitam estar atentos aos primeiros sinais de sentimentos negativos de seus filhos, que podem aparecer num conflito entre irmãos ou colegas, atitude de bullying, maltrato de animais, falta de compaixão pelo sofrimento do outro e tantos outros exemplos de situações. A atenção a esses comportamentos se faz muito necessária, pois os pais podem ter mais dificuldades de percebê-los sob a justificativa de que filhos são ainda “pequenos demais” para se prender a isso.

Saiba quem são os Soldadinhos de Deus e as Aulas de Moral Ecumênica

Ensinar os filhos que não se deve xingar o outro, que não é correto rir do amigo quando ele cai ou está triste, que palavras também machucam as pessoas (mesmo que não deixem feridas visíveis), são atos simples que fazem toda a diferença na educação por toda a vida. Para isso, é fundamental que os pais sejam bons exemplos e que construam diálogo saudável com as crianças.

É importante ressaltar ainda que os responsáveis precisam ser firmes quando houver a necessidade de corrigir um comportamento. Há decisões que não deixarão seus filhos contentes naquele momento, mas que serão muito úteis em sua formação. Contudo, que esta firmeza seja carregada de Amor, que os filhos percebam, através dos exemplos de seus pais, que estes os querem bem e por isso os educam. “O coração torna-se mais propenso a ouvir quando o Amor é o fundamento do diálogo”, esclarece o Irmão Paiva Netto.

Andherson Barcellos

SÃO PAULO, SP — Os Soldadinhos de Deus, Esperança do Mundo, participaram de programação especial nas Aulas de Moral Ecumênica que também faz parte do Plantão de Assistência Espiritual Jesus Vive!.

 

EDUCAÇÃO E REEDUCAÇÃO EM JESUS!

No Evangelho de Jesus, segundo Lucas, 6:43, encontra-se esta afirmativa do Educador Celeste: “Uma árvore boa não dá frutos maus, uma árvore má não dá bom fruto”. Por isso, promover a Paz é uma construção de toda a família e começa pelos pais. Para fortalecer os vínculos, melhorar a ambiência do Lar e buscar a inspiração para educar bem os filhos, nada melhor do que a leitura do Evangelho e do Apocalipse de Jesus. Na Religião Divina eles são estudados sempre em Espírito e Verdade, à luz do Novo Mandamento de Jesus (“Amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos”, Evangelho, segundo João, 13:34 e 35). Para esse estudo, realize, pelo menos uma vez na semana, um momento de Oração, a Cruzada do Novo Mandamento de Jesus no Lar.  

Veja como promover uma Oração no seu Lar

Os pais devem cuidar bem das sementes que Deus ofertou, com Amor, com as correções necessárias. Assim, elas germinarão e se tornarão árvores frondosas, que darão bons frutos à sociedade. Frutos estes que irão desarmar os corações. Sim! Esta também é uma missão dos pais, criar seus filhos para que desarmem corações e trabalhem pela Cultura de Paz, por uma sociedade Solidária, Altruística e Ecumênica.

Avalie este conteúdo