Como celebrar o Natal em família?

Rosangela Oliveira
|
05/12/2017 às 20h15 - terça-feira

Quando nos lembramos do Natal, o que nos vem à mente? Presentes, enfeites, compras, ceia, família, Jesus, Caridade... Infelizmente, há ainda, muitas vezes em nós, a confusão sobre as lembranças natalinas, quando as guardamos nesta ordem de prioridade. Corremos o risco de classificar também nessa mesma ordem os sentimentos e expectativas, imaginando que nossos anseios de consumo sejam o que há de melhor, de mais aguardado nas celebrações do Natal em família.

Outra confusão que precisamos evitar é a de imaginar que essa data, assim como tantas outras, é mais uma ocasião para anestesiar as dores e os sofrimentos, iludindo-nos em atitudes que nos distraem da reflexão sobre o que significa verdadeiramente o Nascimento de Jesus e a necessidade de nos reeducarmos constantemente. Por isso, comportamentos como a alimentação excessiva e o consumo de bebidas alcoólicas e outras drogas, por exemplo, fazem essa divina celebração do Natal em família adquirir um sentido contrário ao que nos inspira o Cristo de Deus. Orienta o presidente-pregador da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, José de Paiva Netto, em seu artigo Natal de Jesus e Direitos Humanos"O Natal não é época de esquecer os problemas, mas, sim, pedir inspiração divina para resolvê-los".

Tela: Carl Bloch (1834-1890)

Detalhe da obra intitulada: A ceia em Emaús.

Natal em família, com Jesus!

Na Religião do Amor Universal acreditamos que tradições natalinas, como reunir a família, por exemplo, não precisam ser abandonadas. Elas contribuem para que se vivencie o Amor ensinado pelo Cristo Ecumênico, o Divino Estadista. Contudo, é preciso que a prática dessa ambiência fraterna estenda-se por todos os dias do ano, garantindo que o Natal de Jesus seja Permanente. Pois nesta época, é comum encontrarmos as pessoas mais dispostas ao Bem, há uma exaltação aos bons valores e sentimentos. Basta lembrar que próximo ao 25 de dezembro há um imenso anseio por confraternização, as pessoas tornam-se mais misericordiosas e amáveis; lembram-se dos menos favorecidos e perdoam mais (e também pedem perdão).

Esses sentimentos são dignos do próprio Aniversariante do Natal: Jesus, o Divino Amigo. Pois ao entoar "Glória a Deus nas Alturas, Paz na Terra aos homens [e às mulheres] da Boa Vontade de Deus" (Evangelho, segundo Lucas, 2:4), o Anjos estavam anunciando o Nascimento de Jesus, que em Sua primeira vinda visível à Terra nos concedeu, a todo instante, os maiores exemplos de Amor e de respeito ao próximo e a nós mesmos. O Cristo nos convocou a vivermos a Boa Vontade de Deus, que não é falha e nem egoísta, mas, antes de tudo, é a vontade firme e decidida em fazer o Bem sempre! Portanto, o Natal é de Jesus, sempre foi e sempre será!

Sobre o nobre sentido desta data e para aqueles que não convivem diretamente com seus familiares, ensina Paiva Netto, em seu artigo Jesus, o Cristo Ecumênico, o Divino Estadista, e Sua Volta Triunfal“Salve, pois, o Natal Permanente de Jesus, o Cristo de Deus, o Cristo Ecumênico, por isso, Aquele que, gravitando acima das humanas discórdias, generosamente, aplaude o valor que existe em todos os segmentos da vida humana, quais sejam a Educação, a Política, a Filosofia, a Ciência, a Economia, a Arte, o Esporte etc., a despeito de qualquer diferença. Que a Divina Paz vigore em todas as famílias e nos recantos daqueles que pensam viver sozinhos, quando, sabendo ou não, estão acompanhados pelos seus dedicados Anjos Guardiães. E que juntos batalhemos, sob os auspícios da Paz, como preconizava Alziro Zarur, ‘por um Brasil melhor e por uma Humanidade mais feliz!’”.

Gratidão ao Cristo de Deus

A Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo nos oferece uma ótima oportunidade de fazermos o Bem e ajudarmos muitas famílias nesse Natal, com a Campanha do Natal Permanente "Salve, Jesus!". Nela, todos podem fazer a sua oferta especial à essa Casa Bendita e auxiliar no crescimento de suas atividades de esclarecimento e conforto espiritual realizadas no Brasil e no exterior. 

Acompanhe abaixo, o Testemunho do Poder da Fé Realizante, de quem participa desta Campanha. A Cristã do Novo Mandamento de Jesus Vânia Campos, de Vicente Pires, DF, enfrentou um grande desafio em 2017 com o desencarne de seu filho, Lucas Borges Campos, e conta como é grata pelo amparo espiritual que recebe do Cristo, na Religião do Terceiro Milênio:

+ A vida não cessa com a morte! Saiba como superar a morte de um ente querido. 

 

+ Ajude outras famílias a receberem essa mesma Luz do Conhecimento da Verdade Divina! Participe da Campanha do Natal Permanente da Religião do Terceiro Milênio "Salve, Jesus!", FAZENDO A SUA OFERTA ON-LINE! =) É simples e rápido.

O desafio está lançado: que possamos estender o Verdadeiro espírito do Natal de Jesus (sendo mais solidários, humanos, misericordiosos), durante todo o ano, e não só ao fim dele. Vamos nos confraternizar e perdoar, sempre, fazendo valer o exemplo do Divino Amigo Jesus. Afinal, como nos esclarece o Irmão Paiva, em sua obra Sagradas Diretrizes Espirituais da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, vol. I, edição revista e ampliada pelo autor, na página 383:

"O Natal é a expansão da Fraternidade Ecumênica".

Feliz Natal Permanente de Jesus!

Avalie este conteúdo