Imposição de Mãos

A Cerimônia de Imposição de Mãos ocorre no Templo da Boa Vontade, nas Igrejas Ecumênicas e durante as visitas fraternas do Departamento de Assistência Espiritual (DAE) da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, por intermédio dos Sensitivos Legionários, que servem de instrumento para os Espíritos de Luz que atuam nos trabalhos práticos do Centro Espiritual Universalista, o CEU da Religião Divina sob a liderança do Irmão Paiva Netto que comanda a Revolução Mundial dos Espíritos de Luz na Quarta Revelação, a Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, e no Mundo da Verdade, a coordenação celeste do Irmão Dr. Bezerra de Menezes.

Sob a inspiração das músicas legionárias, que o povo canta, com muita unção e devoção, esse momento é também um ato de louvor a Jesus, em que todos são lembrados de que o Divino Mestre continua a pregar e salvar as multidões conforme lemos em Seu Evangelho, segundo Mateus, 9:35 e 36: "E percorria Jesus todas as cidades e aldeias, ensinando e pregando o evangelho do reino, e curando toda sorte de doenças e enfermidades. Jesus vendo as multidões, compadeceu-se delas, porque andavam desgarradas e errantes, como ovelhas sem pastor". 

Fundamentação: Jesus, o Cristo Ecumênico, o Divino Estadista, deixou para a Humanidade, quando de Sua primeira vinda visível ao planeta Terra, inúmeros exemplos de libertação por meio de Suas Mãos Sagradas e disse: "Em verdade, em verdade vos digo que aquele que crê em Mim fará também as obras que Eu faço e outras maiores fará, porque Eu vou para junto do Pai" (Evangelho segundo João, 14:12). São várias as passagens narradas pelos evangelistas relacionadas à forma pela qual o Médico Celeste procedia para com todos os que O buscavam a fim de achar a cura ou o alívio de seus males. Ele, impondo as mãos, fazia cegos ver (Evangelho consoante Mateus, 9:27 a 31; e Marcos, 8:22 a 26), paralítico andar (Evangelho conforme Mateus, 9:1 a 8; Marcos, 2:1 a 12; e Lucas, 5:17 a 26), entre outras curas, bem como abençoava as crianças (Evangelho segundo Marcos, 10:13 a 16). Até uma mulher que por dezoito anos sofreu de uma enfermidade teve sua saúde restituída quando o Divino Mestre impôs as mãos sobre ela. (Evangelho consoante Lucas, 13:10 a 13).

O ato de impor as mãos sobre os necessitados também foi praticado pelos apóstolos e discípulos do Cristo de Deus. É o que demonstra o seguinte trecho, que trata da instituição dos diáconos: "Apresentaram-nos aos apóstolos, e estes, orando, lhes impuseram as mãos" (Atos dos Apóstolos, 6:6).

 

Benefícios: Aquele que com Fé Realizante busca a intervenção espiritual na Cerimônia da Imposição das Mãos recebe a energia dos fluídos cósmicos e o amparo dos Falangeiros da Boa Vontade de Deus que estão sempre dispostos a trazer o benefício da medicina espiritual que desce ao alcance daqueles que suplicam a cura, e que por intermédio do merecimento de cada um, são agraciados pela Bênção de Jesus, o Médico Celeste.

A Cerimônia de Imposição de Mãos é um momento de profunda integração com Jesus, o Cristo de Deus, que na Sua estada visível entre os homens nos deixou inúmeros exemplos de cura, através de suas Sagradas Mãos. E nos disse que tudo que Ele fez nós também poderíamos fazer. E nos ensina ainda que a “Fé remove montanhas”. (Evangelho de Jesus, consoante Mateus, 17:20)

Os fluídos, a energia que vem de Deus, são trabalhados no ambiente e canalizados para a renovação das células doentes, recuperando o equilíbrio espiritual daquele que sofre. Nessa ação o fortalecimento de Alma impulsiona a disposição para a perseverança no tratamento médico adequado para o restabelecimento da saúde do corpo.

Hoje, a ciência comprova os benefícios trazidos pelo ato da imposição das mãos e da oração. O dr. Alexis Carrel (1873-1944), Prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia (1912), famoso autor de O homem, esse desconhecido, escreveu a respeito do assunto que alerta as Almas. O Irmão Paiva Netto em seu artigo Oração e Ciência transcreve estas palavras do Dr. Alexis Carrel: "A oração é (...) a forma de energia mais poderosa que o homem é capaz de gerar. Trata-se de uma força tão real como a gravidade terrestre. Na minha qualidade de médico, tenho visto enfermos que, depois de tentarem, sem resultado, os outros meios terapêuticos, conseguiram libertar-se da melancolia e da doença, pelo sereno esforço da Prece. É esta, pois, no mundo, a única força que parece capaz de superar as chamadas ‘leis da Natureza’. Há muitas pessoas que se limitam a ver na Prece (...) um refúgio para os tímidos, ou mero apelo infantil movido pelo desejo de coisas materiais. Concebê-la, entretanto, nestes termos, é menosprezá-la erroneamente. (...) ‘Ninguém jamais rezou’, disse Emerson (1803-1882), ‘sem que houvesse aprendido alguma coisa’. (...) O mais profundo manancial de energia e perfeição, que se acha ao nosso alcance tem sido miseravelmente abandonado. (...) Se a força da Prece for posta em ação na vida de homens e mulheres; se o Espírito proclamar os seus desígnios claramente, invictamente, haverá então confiança de que não sejam em vão os nossos anseios por um mundo melhor".

Vejam que não se trata da opinião de nenhum "místico delirante", porém, de um respeitado homem de ciência. Todo aquele que sofre da choupana ao palácio, com certeza já teve o ensejo de comprovar essa realidade.

O Coordenador dos trabalhos do Centro Espiritual Universalista da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, o Irmão Dr.  Bezerra de Menezes (Espírito) nos revela: “O Poder de Deus também se manifesta pelos fluidos que tanto proclamamos e discutimos existir. Eles manipulam as reações dos ambientes, transgredindo a lógica humana. Vivificam a lógica Espiritual, capaz de acrescentar à vida dos seres humanos a vitória que tanto desejam”.