Hora do Ângelus

A Hora do Ângelus é uma cerimônia de tradição espiritual que remonta aos primórdios da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo tendo sido iniciada no rádio pelo Irmão Alziro Zarur, seu saudoso Proclamador. Devotado admirador de Maria Santíssima, deixou para a nossa reflexão inúmeras preces, poemas, versos gravados homenageando a Excelsa Mãe de Jesus, na Hora do Ângelus. São Mensagens pelas quais o coração humano é elevado a encontrar a Fé, a confiança no Poder Maior de Maria, Mãe Universal da Humanidade que pode interagir diante de Jesus, Seu Filho Amado, em favor de todos nós.

Ampliada pelo Presidente-Pregador da Religião do Terceiro Milênio, José de Paiva Netto, atualmente essa cerimônia é transmitida diariamente pela Super Rede Boa Vontade de Comunicação (rádio, tv e internet) e realizada no Templo da Boa Vontade e nasIgrejas Ecumênicas.

Fundamentação:

Tradicionalmente a Hora do Ângelus é também conhecida como a Hora da Ave, Maria!

O escritor Paiva Netto, em seu livro Jesus, o Profeta Divino, pp. 345 a 347 nos fortalece e nos ensina a buscar o alimento espiritual por intermédio da prece no subtítulo Hora do Pedido:

“Chegou o momento de fazermos a solicitação justa Àquele que nos pode generosamente favorecer, auxiliando-nos a suplantar a mais dolorosa questão. Cada um agora dirigirá ao Alto a sua súplica.

Graças, Senhor!

Dá-nos aquela Paz que prometeste aos que vivem o Teu Novo Mandamento – “Amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como (minhas discípulas e) e meus discípulos” (Jesus – João, 13: 34 e 35). Nele está implícita e explicita a base de toda sociedade social, moral e espiritualmente solidária, firme, que vence, hoje ou amanhã, qualquer violência que teime em habitar os corações.

Falamos daquela Paz Magnífica, que o Amor do Mandamento Novo do Cristo Ecumênico e Sublime Estadista nos pode dar.  Ele é capaz de oferecê-la e frutificá-la em nós. E assegurou que estaria conosco “todos os dias até o fim do mundo” (Evangelho, consoante Mateus, 28:20). Que conforto para nossa Alma!

Encerro convidando todos a entoar comigo o cântico com o qual os Anjos da Milícia Celeste anunciaram aos humildes pastores do campo o nascimento do Cristo de Deus, que a cada dia ressurge em nossos corações. Por isso, a Esperança não morre nunca!  Nunca! Porque, em última análise, ela constitui a escalada que nos ergue até à CERTEZA, que é Jesus!

- Glória a Deus nas Alturas, Paz na Terra aos Homens (e Mulheres, aos Jovens, às Crianças e aos Espíritos) da Boa Vontade de Deus! (Jesus – Lucas, 2:14).

Vocês querem vencer-se e vencer? Deixem Jesus coexistir em seus Espíritos e Maria Santíssima confortar-lhes maternalmente os corações nas horas rudes da jornada humana. Ninguém se encontra irremediavelmente perdido (ou perdida) neste mundo.

Quem confia em Jesus não perde o seu tempo, porque Ele é o Grande Amigo que não abandona amigo no meio do caminho!

Muito grato a todas e a todos pela atenção.

E Viva Jesus, o Cristo Ecumênico, o Político Celeste, o Profeta Divino, a Fiel Testemunha, o Primogênito dos mortos e o Soberano dos reis da Terra, como O Proclama o Apocalipse, o Livro das Profecias Finais”.

 

Benefícios: Essa cerimônia mística acontece diariamente no Templo da Boa Vontade, nas Igrejas Ecumênicas da Religião do Terceiro Milênio, e na Comunicação 100% Jesus, Super Rede Boa Vontade de Rádio e Boa Vontade TV, às 18 horas, Hora do Ângelus, quando os ponteiros do relógio se unem, unindo também as Duas Humanidades, a da Terra à do Céu da Terra.

É um momento de grande elevação espiritual onde são transmitidas as Mensagens da Ave, Maria! na voz do saudoso, Irmão Alziro Zarur, Proclamador da Religião de Deus, do Cristo e do Espirito Santo e Músicas Legionárias são entoadas para homenagear Maria Santíssima, no qual todos têm a oportunidade de agradecer a Excelsa  Mãe de Jesus, por Seu Amparo Maternal à grande família Humanidade e apresentar suas súplicas.

Aqueles que buscam esse momento de profunda integração sentem a emoção celeste tomar conta de seus corações e Maria Santíssima, com Seu Amor maternalmente conforta os suplicantes e ajuda a Humanidade a suplantar os dramas da rude jornada humana. 

Elevação dos pedidos à Maria Santíssima

Vivian R. Ferreira
 Recipiente que recebe, no Altar da Igreja Ecumênica da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, as Súplicas dedicadas ao Divino Mestre. Ali estão representadas as Sagradas Mãos de Jesus, a receber cada um dos pedidos.

Nas reuniões públicas da Religião Divina, os Cristãos do Novo Mandamento de Jesus, além de escreverem seus nomes no Sagrado Livro de Preces da Religião do Amor Universal, escrevem também suas súplicas e agradecimentos, depositando-os na Pia Sagrada para que na Hora do Ângelus, sejam elevados ao coração do Provedor Celeste, por intermédio de Maria Santíssima, Mãe de Jesus.

Fluidificação das Águas: Durante a Hora do Ângelus, as Sensitivas Legionárias atuam como instrumentos do Poder de Deus impondo as mãos sobre as águas, para que recebam os Fluidos Divinos do olhar Misericordioso de Jesus.

Vivian R. Ferreira

A Hora do Ângelus, também conhecida como a Hora da Ave, Maria!, é uma cerimônia tradicional na Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo tendo sido iniciada, na década de 40, no rádio por Alziro Zarur (1914-1979), saudoso proclamador da Religião do Terceiro Milênio.  

As Sete Badaladas da Hora do Ângelus: Sob a forte inspiração da Hora do Ângelus, diante da magnífica vibração de Prece, o povo clama: "Ora vem, meu Pai Celeste, Ora vem, excelsa Luz; Ora vem, Divino Mestre; Ora vem, Senhor Jesus!" e então soam as sete badaladas sonoras da melodia "Jesus já vem!", do compositor Paiva Netto, tocada pela primeira vez durante a inauguração do Templo da Boa Vontade, compondo um extraordinário momento que reafirma a convicção uníssona da Volta Triunfal de Jesus, com Seu Poder e Grande Glória, anunciada em Seu Apocalipse (1:9 a 20). Esse momento retoma as emoções sentidas na inauguração do monumento da Espiritualidade Ecumênica, o Templo da Boa Vontade (desde então o mais visitado de Brasília/DF – Brasil), fundado por Paiva Netto em 21 de outubro de 1989, como marco da promoção da Paz no mundo, recebendo mais de um milhão de peregrinos todos os anos.